quinta-feira, 21 de maio de 2009

Silvio Santos incentivando um ensino de merda!


Silvio Santos ensina o que NÃO se deve fazer com criança. Maisa pode parecer uma adulta no corpo de uma criança, MAS NÃO É! Silvio Santos bate, agride verbalmente, brinxca de forma nada instrutiva (muito pelo contrario), incentiva a fofoca... Mas a culpa é dele? TAMBÉM! Culpa de quem assiste e dá ibope a isso. Eu faço questão de não assistir. Se vi foi umas 2 vezes e pedaços, porque não aguentei tanta burrice humana junto.

Como dizia Pitágoras: Eduque às crianças e não será necessario castigar aos homens...


Para você que não viu a cena polemica, aonde Silvio Santos faz Maisa chorar assustada de medo do menino fantasiado (dizem que foi tudo combinado. mas nao é essa a questão):





E depois Silvio Santos na semana seguinte a faz chorar novamente relembrando o episodio anterior:




Para quem não acredita que Silvio Santos bate (mesmo que seja um tapinha, mas nem os pais devem fazer isso, imagina ele em REDE NACIONAL). Repare logo no começo que ele dá um tapa na mao dela:




Assistam no "link" abaixo a entrevista do presidente do CEDCA (Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente) a respeito do caso Maisa.

terça-feira, 19 de maio de 2009

O Caminho da Loucura

Quase todos os seres humanos possuem uma característica típica da esquizofrenia: fazerem continuamente as mesmas coisas e ficar à espera de resultados diferentes.
Todas as pessoas querem vidas melhores, mais saúde, melhores relacionamentos, mais abundância financeira...

Mas... dia após dia fazem exatamente as mesmas coisas! À espera de um milagre. Que nunca irá acontecer! Porque são loucas... Porque acreditam que vão mudar de vida sem mudar. Porque se meditarem o suficiente serão abençoadas com milhares de coisas boas, sem necessidade de mudar o que quer que seja.

Já reparou que à sua volta, na natureza, nada permanece constante? Tudo muda continuamente. E no entanto, você... que quer mudanças na sua vida, está a espera que elas ocorram sem mudar.

Bem vindo à insanidade! A maior parte das pessoas tem um sonho e faz planos para o manifestar e medita. E acredita na Lei da Atração e até é capaz de escrever alguma coisa e esperar que as pessoas à sua volta comecem a mudar...

E nada acontece... Porque a mudança tem que começar dentro de cada um primeiro! Tudo começa com os rótulos que colocamos sobre cada experiência do nosso cotidiano. Qualquer experiência sua é sempre uma aprendizagem.

O "bom" e o "mau" é apenas um rótulo que você decide colocar. Quando sentir que a experiência merece um rótulo "negativo" aprenda, antes de colocar o rótulo, a afirmar algo como "não sei de que forma esta experiência é boa pra mim, MAS É!" Quanto mais negativo for aquilo que tenho pra dizer, mais demoro pra dizer.

É uma técnica ensinada por D. Juan, dissolver a negatividade para dar poder à divindade. Ame cada experiência se quer atrair experiências melhores. E lembre-se que jamais passará por uma experiência "dramática", a menos que esteja preparado/a para ela. "Quem vive no presente com olhos no passado descobrirá que não tem futuro."

"Insanidade é fazer repetidamente as mesmas coisas e esperar resultados diferentes." Pare de se queixar para que esse tema se dissolva. Agradeça mais! Reclame menos! Em tudo que fazes, lembra-te: O UNIVERSO NÃO É ESTÚPIDO!

terça-feira, 12 de maio de 2009

O Tempo


O Tempo
(Igor Chiesse)


O tempo não pode parar
A nossas rotinas jamais possuem um cessar
Nem ao menos com a nossa modesta morte
Pois alguém nos rouba o tempo em outro lugar
O que seria o sinal de temporalidade?
Algo fulminante que não escolhe idade
Nascemos e crescemos
Envelhecemos e morremos
O ciclo não pode parar
Os olhos não permitem chorar
Pois o tempo veio e me transformara
Em alguém que jamais sonhara
O que será do tempo se o mundo acabar?
Respostas não sei , mas o tempo
Não possui um cessar...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Dia Internacional de Combate à Homofobia, 17 de maio na Praia de Ipanema



No dia em que o mundo inteiro comemorará a retirada da homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças pela OMS (17 de maio), o Rio de Janeiro realizará sua caminhada solene pelo Dia Mundial de Combate à Homofobia e pela paz. O 17 de maio fluminense será marcado por um ato pacifista, que contará com cerca de 3.000 flores que formarão a bandeira do Brasil, em memória dos assassinatos cometidos em decorrência de orientação sexual e identidade de gênero. A marcha terá a presença de diversas personalidades, como o Ministro Carlos Minc, e representantes de direitos humanos. Ela se dará na Praia de Ipanema, com início na Rua Vinícius de Moraes (concentração ás 15h) e fim na Farme de Amoedo, quando será formada a bandeira brasileira de flores. A boate 1140 (Praça Seca) será o cenário da festa que marcará o fim da manifestação.

domingo, 10 de maio de 2009


Sou pessoa de dentro pra fora. Minha beleza está na minha essência e no meu caráter.
Acredito em sonhos, não em utopia. Mas quando sonho, sonho alto. Estou aqui é pra viver, cair, aprender, levantar e seguir em frente.
Sou isso hoje. Amanhã, já me reinventei. Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim.
Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina. E vice-versa.
Me perco, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar.
Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termos.
Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa. Sou pessoa de riso fácil... e choro também!

(Tati Bernardi)

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Olhe para os dois lados


Gastei um tempo pensando em como começar a expressar o que eu estou passando. Procurei músicas, poemas, cronicas, textos... Alguns até chegam perto, mas ainda não era aquilo...
Resolvi escrever eu então. E começo com uma conversa interna: 'O que você quer?'
Pergunta chave.
Na maioria das vezes a minha decisão era baseada no outro, no que o outro queria, no que ele não queria, no que ele sentia e no que ele não sentia. Tomar uma decisão independente era a única coisa que eu não fazia. E sempre dava errado. Sempre sofria mais por isso. Nunca sabia exatamente o porque.
Parei, pensei, pensei mais, pensei mais um pouco, pensei mais ainda... Chorei. Enxuguei as lágrimas, pensei mais um pouco, e decidi. Olhei para dentro, porque olhar para fora não era mais a solução.
Gastei tempo demais olhando para o outro e esquecendo que era p/ mim que eu tinha que olhar.
Achava que se eu olhasse para mim ia deixar de olhar para o outro, e quando na verdade, eu me perdia olhando para um lado só. É como atravessar a rua... olhe para os dois lados...

Cuidado! Não pare no meio da rua! Continue andando...

sexta-feira, 1 de maio de 2009

A Impontualidade do Amor


Você está sozinho. Você e a torcida do Flamengo. Em frente a tevê, devora dois pacotes de Doritos enquanto espera o telefone tocar. Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha.

Trimmm! É sua mãe, quem mais poderia ser? Amor nenhum faz chamadas por telepatia. Amor não atende com hora marcada. Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase galinha, sem disposição para relacionamentos sérios. Ele passa batido e você nem aí. Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, desconfiado, cheio de olheiras. O amor dá meia-volta, volver. Por que o amor nunca chega na hora certa?

Agora, por exemplo, que você está de banho tomado e camisa jeans. Agora que você está empregado, lavou o carro e está com grana para um cinema. Agora que você pintou o apartamento, ganhou um porta-retrato e começou a gostar de jazz. Agora que você está com o coração às moscas e morrendo de frio.

O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina. Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos pra você. Ou então fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana. Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida. O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa.

O jeito é direcionar o radar para norte, sul, leste e oeste. Seu amor pode estar no corredor de um supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro. Pode estar aqui mesmo, no computador, dando o maior mole. O amor está em todos os lugares, você que não procura direito.

A primeira lição está dada: o amor é onipresente. Agora a segunda: mas é imprevisível. Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza. Idealizar é sofrer. Amar é surpreender.

(Martha Medeiros)

Autoestima e a Síndrome dos Três Porquinhos



Auto-estima é um assunto tão falado hoje em dia que chega a encher o saco. Dá vontade de dar um peteleco nas pessoas que viram do nada pra você e dizem: “Você precisa se gostar, ter uma auto-estima alta!”. Bom, a ouvinte, que já se acha um pano de prato ambulante, certamente tem vontade de se enfiar mesmo debaixo da pia, afinal parece tão simples se gostar e ela não consegue. Parece que é tão fácil quanto apalpar um mamão na feira ou comprar um moletom do Mickey, na Disneylândia. Mas, não é! Se gostar, enquanto a maré inteira tenta te convencer de que você não é magra o suficiente, não é linda o suficiente, não é sexy o suficiente, não é bem sucedida o suficiente... é dose! É como remar dentro de um caiaque no meio do tsunami. Na minha opinião, auto-estima é um negócio que se constrói de pouquinho, tijolo por tijolo... Não de uma vez só, na porrada.
Gosto de comparar a auto-estima à fábula dos Três Porquinhos. Às vezes, encontro mulheres com a auto-estima como a casa de palha de Cícero, o porquinho preguiçoso, completamente frágeis e, mesmo assim, arrastando trens por homens que, num simples sopro, as destroem em pedacinhos. Também encontro mulheres como a casa de madeira do porquinho Heitor, com a auto-estima média, um pouco de insegurança, um pouco de firmeza, mas mesmo assim se sabotam facilmente botando muitas coisas a perder, principalmente no amor. Basta um gesto que pareça com rejeição e pronto: é aquele drama. Foram poucas as mulheres que encontrei com a auto-estima de Prático, o porquinho inteligente. São auto-estimas trabalhadas, construídas com cimento e tijolos, praticamente inabaláveis. A má notícia é que posso contar nos dedos essas mulheres. Uma pena mesmo... Vira e mexe transito pela casa de palha, de madeira e, às vezes, de tijolo no amor.
Mas se ainda transito tanto é porque preciso construir melhor o meu gostar, o meu aceitar. A melhor forma de fazer isso é quando você está só, solteira. E a maioria das mulheres pensa exatamente o contrário, que é preciso ter um homem ao lado para se sentir amada, para sentir-se valorizada. Terrível engano. Quando estamos só temos todo o tempo do mundo para a gente, pra se reconstruir, para aumentar nosso autoconhecimento. Quando você se liberta do pavor de ficar sozinha é aí que começa o seu verdadeiro processo de se amar. Dói no começo, mas depois é bom demais. Então, que resposta você se dá? Sua auto-estima é como a casa de palha, de madeira ou de tijolos – dos Três Porquinhos? Se a resposta for a 1 e a 2, minha pergunta é: onde está a sua pá? Chega de drama e vamos botar a mão na massa!


(Gisela Rao)

You Can't Hurry Love (Phil Collins)





I need love, love
Ooh, ease my mind
And I need to find time
Someone to call mine;

My mama said
You cant hurry love
No, youll just have to wait
She said love dont come easy
But its a game of give and take
You cant hurry love
No, youll just have to wait
Just trust in a good time
No matter how long it takes

How many heartaches must I stand
Before I find the love to let me live again
Right now the only thing that keeps me hanging on
When I feel my strength, ooh, its almost gone

I remember mama said
You cant hurry love
No youll just have to wait
She said love dont come easy
Its a game of give and take
How long must I wait
How muck more must I take
Before loneliness
Will cause my heart, heart to break

No, I cant bear to live my life alone
I grow impatient for a love to call my own
But when I feel that i, I cant go on
Well these precious words keep me hanging on

I remember mama said
You cant hurry love
No, youll just have to wait
She said love dont come easy
Well, its a game of give and take
You cant hurry love
No, youll just have to wait
Just trust in a good time
No matter how long it takes, now break!

Now love, love dont come easy
But I keep on waiting
Anticipating for that soft voice
To talk to me at night
For some tender arms
Hold me tight
I keep waiting
Ooh, till that day
But it aint easy (love dont come easy)
No, you know it aint easy

My mama said
You cant hurry love
No, youll just have to wait
She said love dont come easy
Its a game of give and take

Frase do Milênio

Pode ir se foder-se a si proprio com sua pessoa sozinho a sós através de seu eu-lirico interior pessoal! (mas use camisinha!)

(Daniel Borges Coelho)